Você doaria seus órgãos?

Por muito tempo houve* (e há)  muita resistência quando o assunto é doação de órgãos. Isso porque muitas pessoas (eu já pensei assim) acham que quando se declara doador de órgãos é como dizer que irão morrer a qualquer momento. (na verdade corremos riscos de vida até ao beber água!) É a mesma sensação de se fazer um seguro de vida.

Essa ideia só muda, quando nos conscientizamos de que realmente podemos morrer a qualquer momento mesmo (fato), mas que, se isso viver a ocorrer (não pelo fato de se declarar doador, mas pelas fatalidades que estamos suscetíveis) ainda assim podemos fazer a diferença! Contribuiremos para que outras pessoas continuem a viver, com um pedacinho de nós.

Já pensou nisso?

Quando paramos para refletir na grandiosidade dessa causa, quando mudamos o foco para o todo e não apenas para o “eu” percebemos que aquela visão citada no início não tem "nada a ver".

Eu mudei minha concepção, mudei a minha visão quanto a doação de órgãos. Aprendi que não levaremos nada desta vida, mas que podemos continuar a existir depois disso através dos outros, de nossa história, de nosso legado.

E você? Já falou para seus familiares que gostaria de doar seus órgãos? O que você pensa sobre isso?

* Atualização em 17/10 para correção ortográfica.

Sobre o autor

Danilo Andrade
Estudante de Serviço Social. Um ser inacabado e inconformado com o comodismo. Um cara alegre, que não curte fórmulas prontas e verdades indiscutíveis.

15 comentários:

  1. Olá querido amigo !!

    Maravilhosa sua postagem e abordagem deste assunto tão importante !!
    Meus familiares estão todos avisados sobre isso , pois acredito que é uma bela oportunidade de contribuir para algo neste mundo.
    Imagine que felicidade daremos às famílias da pessoa que necessita e receberá nosso orgãos !! Quantas crianças poderão ainda aproveitar a presença de seus pais, quanto sofrimento cessará com esta atitude tão simples !
    Sou totalmente a favor, e espero que cada vez mais as pessoas se desprendam de certos preconceitos ou receios nascidos da ignorância e resolvam doar também ;)

    Um abração e boa semana !!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Samanta! Você como sempre fazendo super contribuições aqui neste espaço! Realmente, precisamos nos desprender dessas ideias fundamentadas apenas na ignorância, e perceber o quão importante é essa causa! Vamos sim abraçá-la!

    ResponderExcluir
  3. como faco para ser um doador?

    ResponderExcluir
  4. Ae Anônimo, antigamente existia um adesivo que tu colava na tua carteira de identidade, mas hoje em dia não adianta, tu pode tatuar "sou doador de órgãos e tecidos" na testa que se teus pais, irmãos ou consorte disserem o contrário, ninguém poderá fazer nada, por isso da importância de se conversar e argumentar sobre o assunto com os familiares, pois é a reposta deles que contará na hora H.

    ResponderExcluir
  5. Eu sou doador de órgãos desde sempre.

    ResponderExcluir
  6. Devia ser simples assim,,,
    Quem não é doador, num deveria ser receptor.
    Pronto,,,! Simples não??!!

    ResponderExcluir
  7. Ola, muito bom.
    Sempre falo para minha família que quando me for quero que doem tudo, pois não vou mais precisar deles mesmo:).
    Mas apesar de tudo na hora H não é tão simples assim, tive que tomar uma decisão desta a alguns meses, e apesar de não ter duvidas sobre a decisão não foi fácil, principalmente por se tratar de uma pessoa muito querida.
    E sabe o que é pior pessoas que não entende o procedimento acharam que você tipo matou a pessoa antes dela morrer.

    ResponderExcluir
  8. Vim até aqui animada para ler sua opinião sobre esse assunto, mas quando há erro de português na primeira linha do texto, perco totalmente o interesse. "Por muito tempo ouve (e há)": o engraçado é que você parece ter consciência que a palavra "ouve" vem do verbo haver, pois em seguida a coloca corretamente com H no presente. O correto é "HOUVE". "ouve" é do verbo ouvir.
    Sem mais...

    ResponderExcluir
  9. Olá Pessoal, Muuuito obrigado pelas contribuições aqui neste post. A opinião de vocês são muito importantes.
    É sempre bom contar com que de fato viveu, como como o (a) anônimo falou, não é nada fácil. Lívia, muito obrigado pelo seu toque, realmente, nem sempre consigo revisar o texto como deveria, mas sim, sei que o verbo houve tem H... obrigado pela sua colocação, assim, me esforçarei para que não volte a acontecer. Espero que ao menos tenha terminado de ler o post, e também os comentários pois estão bastante interessantes.

    Abraços, voltem sempre!

    ResponderExcluir
  10. Concordo com o Jalapão Tocantins. E penso que,para comentários sobre erros de português,as pessoas deveriam procurar o e-mail do professor Pascoale. Já cansei de ler pessoas querendo corrigir erros dos outros e não fazerem comentários a respeito do texto. Muito bom o post

    ResponderExcluir
  11. Olá Anônimo (a?) Muito obrigado por seu comentário. Realmente parece injusto que algum egoísta que não queira doar seus órgãos, acabe beneficiado por alguém. Mas fazer o que né? Nem tudo é mesmo justo. Quanto aos erros de português, aff... com mais de ano de blogueiro já estou até acostumado (não que esteja constantemente errando)
    Porém, que fique claro que blogo porque gosto, não vivo disso. Apesar do Adsense, o retorno é irrisório. Não dá nem para comprar o domínio. kkk

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Dan, vc me conhece mas vou te dizer: Eu sou tão magra que não posso doar nem sangue imagine os meus órgãos.rsrsrs... Mas se alguém precisar e eles servirem para salvar vidas, pode ser q minha família aceite, mas quanto a isso eles são muito resistentes, mas quem sabe se um dia um familiar passar por uma situação onde precise, eles possam mudar de opinião? Espero q isso nunca aconteça, mas algumas pessoas precisam passar por provações para só aí se sensibilizam que devem e precisam ajudar o próximo...
    Gostei de sua temática, pode ter certeza que apartir de reflexões sobre esse conteúdo (...) persuadiremos muitas pessoas a mudarem de opinião!!!

    ResponderExcluir
  13. Você não tem jeito em? Acho que para doar orgãos o peso não importa... deixe de arranjar desculpas! Vamos sim formar essa corrente em prol da vida!

    ResponderExcluir
  14. continuar a existir depois disso através dos outros, de nossa história, de nosso legado...
    Sério, morreu acabou, que tipo de argumento é esse?
    Eu sei que vão me linchar pelo comentário, mas sinceramente não vejo por que doar órgãos, que me importa salvar vidas desconhecidas de gente que sabe-se lá se merece viver??
    Doar pra alguém que se conhece é outra história, mas sair a distribuir? Eu ñ vou colaborar pra dar continuidade a uma vida, é como se eu fosse responsável por ela e por qualquer ato que ela venha a cometer depois, e se futuramente virar um marginal ou cometer crimes?

    Se me acham muito cético um comentário religioso tbm, Deus escolhe quando uma vida deve terminar, se a pessoa não tem mais condições físicas pra isso , chegou a hora dela

    ResponderExcluir
  15. Olá Anônimo (que posso fazer né? Tá assim)Este blog é um espaço bastante democrático, fique tranquilo quanto a isso. É claro que tudo tem dois lados, a gente quem escolhe de qual lado olharemos... Claro, se você for analisar pelo ponto de vista que você colocou, ponto. Mas se você analisar pelo lado de que alguém pode sinceramente ser salvo, que sabe-se lá possa até chegar a salvar a vida de algum ente querido seu (probabilidades, assim como este mesmo possa virar um marginal, como você colocou. Tudo é possível) O fato, é que doar precisa ser uma ação sem muita indagação do que poderá acontecer futuramente.
    Mas como é fato (graças a Deus) todos nós temos liberdade de escolhermos.

    Abraços, e muito obrigado pelo seu comentário. Volte sempre!

    ResponderExcluir

Olá! Comente a vontade! Aqui não tem palavra de verificação. Contribua com sua opinião.

Template by Clairvo Yance
Copyright © 2012 polemizando and Blogger Themes.